top of page

BLOG VITGOLD

  • Foto do escritorVitgold

Conhece o Ômega 3 de fonte vegetal? Orgânico? Surpreenda-se!

O Ômega 3 é um nutriente essencial para o nosso corpo, sendo adquirido por meio da #alimentação ou #suplementação. Muitos acreditam que a única fonte é o Óleo de Peixe, mas existe o #ômega3vegetal, que traz praticamente os mesmos benefícios, um deles é o Óleo de #Linhaça.


Extraído da Linhaça Dourada, de plantações #orgânicas que respeitam o meio ambiente, os colaboradores e as formas puras de extração do Óleo.

As técnicas utilizadas para extração do Óleo de Linhaça são feitas com prensagem a frio, as sementes de linhaça são prensadas sem a alteração de temperatura, o que preserva os nutrientes. É uma rica fonte de ômega 3, 6 e 9, de ORIGEM VEGETAL.



Muito prazer, sou a Linhaça!


A Linum usitatissimum L., conhecida popularmente como linhaça, é um alimento vegetal, onde sua semente é rica em ácidos graxos poli-insaturados da série Ômega 3, o alfa-linolênico (ALA) e em menores quantidades de ácido linoleico da série Ômega 6.


São encontrados também na linhaça outros nutrientes como proteína, lignanas, fibras alimentares, ácidos fenólicos, flavonóides, vitaminas e minerais.


Todos esses nutrientes promovem efeitos benéficos para o funcionamento do organismo, manutenção da saúde cardiovascular, prevenção de aterosclerose, processos inflamatórios como artrite, obesidade, estresse crônico, entre outros e ainda confere proteção às células do nosso cérebro, estando envolvida na melhora da cognição e memória.



Sobre os Ácidos Graxos presentes no Ômega 3 Vegetal.


Em óleos vegetais, a maior concentração do ácido alfa-linolênico – ALA (Ômega 3) ocorre no óleo de linhaça, ela tem alto índice de ácidos graxos poli-insaturados - Ômega 3 e 6 (73%), moderado em ácidos graxos monoinsaturados - Ômega 9 (18%) e baixo em ácidos graxos saturados (9%).


Em outras palavras, ela é uma rica fonte de Ômega 3 e nesse contexto, vamos conhecer um pouco mais sobre os benefícios do seu óleo e o seu metabolismo em nosso corpo, principalmente do Ômega 3 de origem vegetal, que está em maior quantidade.


O ALA é um ácido graxo essencial e precursor na produção dos demais ácidos da família W-3, que através de enzimas específicas são transformados em EPA e DHA, a forma mais ativa do Ômega 3. Eles são essenciais porque o nosso corpo não tem a capacidade de produzi-los, portanto deve ser necessariamente obtido através da alimentação e/ou suplementação.


Os ácidos graxos poli-insaturados de cadeia longa (AGPI-CL) ω-3, ácido docosahexaenoico (DHA) e ácido eicosapentaenoico (EPA), são componentes críticos para o bom funcionamento do organismo.


Seu consumo pela dieta é fundamental, uma vez que o organismo sintetiza esses ácidos graxos em pequenas quantidades a partir do ácido α-linolênico (ALA), presente no óleo da linhaça.



E quais são os principais benefícios?

Esses compostos têm diversas funções biológicas, entre elas, crescimento e desenvolvimento celulares e processos relacionados à inflamação e ao sistema cardiovascular.


Como função biológica, o ALA, é usado como fonte energética e serve de matéria-prima do tecido nervoso, de substâncias que promovem a regulação da pressão arterial, e consequentemente da frequência cardíaca, para a cascata da coagulação, dilatação vascular e a lipólise (MARTIN et al., 2006).

Além desses benefícios, o consumo constante de ALA pode auxiliar na manutenção da saúde cardíaca, prevenção da formação de placas de gordura, favorecendo o bom funcionamento do coração e ainda da saúde cerebral, devido ao seu efeito neuroprotetor.



O que dizem os estudos?


Segundo Benvenuto, Mudrek e Netz (2017) a semente de linhaça é oleaginosa, podendo ser de duas cores, marrom ou amarelo dourado. A marrom é cultivada em regiões de clima quente e úmido, como o Brasil e se utiliza agrotóxicos no seu cultivo, já a dourada é plantada em regiões de clima frio, como o Canadá e é cultivada de forma orgânica, possui sabor mais suave do que a linhaça marrom e casca mais resistente.


Outros estudos conduzidos com ALA atestam ainda relação inversa entre seu consumo e parâmetros inflamatórios, incluindo PCR sérica (um marcador que têm níveis aumentados em resposta à inflamação).


Isso porque o Ômega 3 é um nutriente anti-inflamatório, trazendo benefícios ao nosso corpo em qualquer processo que envolve inflamação, como na obesidade, artrite, dermatites, aterosclerose, entre outras.

A suplementação com ALA reduziu a concentração de marcadores inflamatórios em indivíduos dislipidêmicos, ou seja, em pessoas com os níveis de gorduras no sangue em desequilíbrio, a exemplo do Colesterol e Triglicerídeos elevados. E ainda, segundo o Departamento de Aterosclerose (DA) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) dados prospectivos do CHS mostraram que concentrações plasmáticas mais elevadas de ALA se associam à menor chance de novos casos de Diabetes Melitus tipo 2, uma vez que pode auxiliar no controle da glicemia e melhora da resistência à insulina.


O maior consumo de ácidos graxos essenciais tipo Ômega 3 está associado a uma menor incidência de olho seco em mulheres. Eles contém compostos anti-inflamatórios naturais, com a propriedade de aliviar sintomas da artrite e de outras doenças autoimunes.



Os cuidados na ingestão exagerada de Ômega 6.


Nos países ocidentais, o aumento da incidência de doenças inflamatórias foi parcialmente atribuído ao consumo exagerado de Ômega 6 adicionado ao consumo de gorduras saturadas e trans, em detrimento de uma menor ingestão de Ômega 3. Isso porque nossa alimentação já é naturalmente mais rica em Ômega 6 como óleo de soja e de milho.


Já as fontes de Ômega 3, por exemplo a linhaça e chia, de origem vegetal, e peixes, de origem animal, costumam não estar presentes em nossa rotina alimentar. Por isso deve haver um equilíbrio entre o consumo desses ácidos graxos em nossa alimentação. Nesse contexto, a alimentação balanceada ajuda na prevenção e/ou tratamento de várias doenças inflamatórias (Stanke-Labesque et al., 2008).



Uma alimentação saudável rica em Ômega 3 deve fazer parte do seu dia a dia.


Diante disso, estimular o consumo de ácidos graxos poli-insaturados Ômega 3 de origem vegetal como parte de uma alimentação saudável é interessante, uma vez que a nutrição é um fator de grande importância para a saúde e os ácidos graxos da dieta participam de diversos processos metabólicos e fisiológicos no organismo humano.


Não podemos esquecer que eles são essenciais para o funcionamento do nosso corpo!


Siga as nossas redes sociais para acompanhar as atualizações.

Instagram: @vitgoldbrasil e Facebook: @vitgoldoficial



Referências:

https://abccardiol.org/wp-content/uploads/articles_xml/0066-782X-abc-116-01-0160/0066-782X-abc-116-01-0160.x55156.pdf (Posicionamento sobre o Consumo de Gorduras e Saúde Cardiovascular – 2021)


56 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page